Água de Lagoa Dourada é contaminada, aponta estudo

Reprodução: Por Tras do Alimento

Um coquetel que mistura diferentes agrotóxicos foi encontrado na água de 1 em cada 4 cidades do Brasil entre 2014 e 2017. Nesse período, as empresas de abastecimento de 1.396 municípios detectaram todos os 27 pesticidas que são obrigados por lei a testar. Desses, 16 são classificados pela Anvisa como extremamente ou altamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças crônicas como câncer, malformação fetal, disfunções hormonais e reprodutivas.

Os dados são do Ministério da Saúde e foram obtidos e tratados em investigação conjunta da Repórter Brasil, Agência Públicae a organização suíça Public Eye. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), que reúne os resultados de testes feitos pelas empresas de abastecimento.

Reprodução: Por Tras do Alimento

Os números revelam que a contaminação da água está aumentando a passos largos e constantes. Em 2014, 75% dos testes detectaram agrotóxicos. Subiu para 84% em 2015 e foi para 88% em 2016, chegando a 92% em 2017. Nesse ritmo, em alguns anos, pode ficar difícil encontrar água sem agrotóxico nas torneiras do país.

Conforme reprodução ao lado, na água que abastece Lagoa Dourada foram detectados 5 tipos de agrotóxicos, sendo 3 deles associados a doenças crônicas como câncer, defeitos congênitos e distúrbios endócrinos. Nenhum agrotóxico foi detectado em concentração acima do limite considerado seguro no Brasil, embora um deles, a Permetrina, foi detectada acima do limite considerado seguro na União Europeia entre 2014 e 2017.
Fonte: Por Trás do Alimento